Projeto Microbacias II – Acesso ao Mercado é apresentado em evento na Bahia

Nos dias 29 e 30, o coordenador da CATI, João Brunelli Júnior, e o engenheiro agrônomo da instituição, Vivaldo Alberto Viganó, participam, em Salvador (BA), do “Intercâmbio com gestores dos projetos de desenvolvimento rural financiados pelo Banco Mundial” para apresentar as iniciativas do Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável – Microbacias II – Acesso ao Mercado.

O evento é promovido pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) da Bahia, por meio do Projeto Bahia Produtiva, uma ação do governo baiano executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) e que tem como metas a redução das desigualdades e superação da pobreza em todo o Estado. O Projeto tem  algumas práticas muito similares ao projeto paulista, como a promoção do desenvolvimento rural sustentável com o fortalecimento da agricultura familiar e a inserção nos mercados. Além disso, o “Bahia Produtiva” foca a economia popular, baseada nos princípios da agroecologia, a infraestrutura socioprodutiva e as seguranças alimentar e hídrica.

“Esse encontro tem como objetivo compartilhar as boas práticas, dificuldades e soluções encontradas na gestão dos projetos, favorecendo a mitigação de problemas na execução e a socialização de ferramentas que contribuem com o aprimoramento operacional das ações. Além disso, pretendemos entrosar os gestores para novos intercâmbios”, afirmou Wilson Vasconcelos, diretor presidente do Projeto Bahia Produtiva.

O coordenador da CATI, acompanhado de Vivaldo Viganó, que é gerente técnico do Projeto Microbacias II, apresentaram três painéis, os quais tiveram como foco “Mercado e Políticas Públicas”; “Plano de Negócios” e “Assistência Técnica e Apoio à Gestão”. Além de São Paulo, outros estados apresentaram suas ações, como Bahia, Ceará, Rio Grande do Norte, Acre, Santa Catarina e Tocantins. Acompanhando as apresentações, estiveram presentes gestores de 11 estados brasileiros.

Para o coordenador da CATI, a troca de experiências entre os diversos projetos que visam apoiar organizações da agricultura familiar a acessar o mercado é extremamente válida, pois mesmo se tratando de regiões com características completamente diferentes, muitos aspectos metodológicos e algumas experiências positivas podem ser compartilhadas entre os participantes.

Para o gerente técnico do Projeto Microbacias II, foi uma oportunidade muito interessante compartilhar o aprendizado adquirido com a sua execução e poder colaborar com os colegas de outros estados que ainda estão, em alguns casos, iniciando projetos de desenvolvimento rural. Poder ouvir e conhecer as experiências de outros estados também foi muito produtivo. 

 

      

 Após as apresentações e os debates, os participantes visitaram, no Pavilhão de Feira do Parque de Exposições de Salvador, a VIII edição da Feira Baiana de Agricultura Familiar e Economia Solidária (Febafes), que será realizada até o dia 3 de dezembro e onde são expostos e comercializados produtos da agricultura familiar, reforma agrária e de comunidades tradicionais do Estado.  Chefs de cozinha também preparam, no local, receitas especiais com produtos da agricultura familiar! De acordo com a organização do evento, a Feira contou com 270 expositores e 1.500 produtos de cooperativas e associações dos 27 Territórios de Identidade do Estado. A Febafes integra a Bahia Rural Contemporânea, evento que apresenta ao público a diversidade cultural e o potencial produtivo do rural baiano.

Perfil rural baiano

A Bahia é o estado que possui o maior número de famílias vivendo da agropecuária, atividade responsável pela produção de 77% dos alimentos que chegam à mesa dos baianos. De acordo com o Censo Agropecuário (IBGE, 2006), o estado concentra a maior população rural do Brasil, com 3,9 milhões de habitantes. Também reúne o maior número de estabelecimentos da agricultura familiar, com cerca de 700 mil propriedades. A agricultura familiar responde por 44% de tudo que se produz na agropecuária do Estado, com o Valor Bruto da Produção (VBP) anual de R$ 3,74 bilhões. A agricultura familiar é destaque na produção de mandioca, feijão, mel, leite, pesca e aquicultura artesanal, fruticultura, oleaginosas e caprinovinocultura, entre outros produtos.

 

Mais informações: (19) 3743-3870 ou 3743-3859

jornalismo@cati.sp.gov.br