Mosca-dos-estábulos: CATI lança folder técnico com medidas preventivas

Em dezembro começa em todo o Estado de São Paulo a entressafra da colheita da cana-de-açúcar que vai até o início de março. Durante este período, principalmente com a chegada do verão, começam também as chuvas, então é muito importante que as usinas não deixem resíduos no campo como torta de filtro e vinhaça porque as larvas das moscas dos estábulos estão por ali e basta voltar a umidade para que elas renasçam, causando os surtos. Então é preciso estar atento. É hora também de os pecuaristas, principalmente de gado leiteiro, fazerem o dever de casa com a limpeza das áreas, dos confinamentos, não deixando matéria orgânica em decomposição, evitando os resíduos e o esterco, locais ideais para a proliferação das moscas dos estábulos.

Segundo o médico veterinário Sidney Ezídio Martins, diretor da CATI Regional General Salgado e técnico responsável pelo grupo criado para tratar as questões relativas à mosca- dos- estábulos, o ano de 2018 não foi muito problemático em função das secas prolongadas que ocorreram. “Este ano (2018) não foi tão grave a incidência devido à baixa umidade; os surtos ocorreram apenas em pontos isolados como na região de Fernandópolis, Dracena e General Salgado. Mas as medidas preventivas devem ser sempre tomadas e mantidas, tanto pelas usinas quanto pelos pecuaristas”, alerta Sidney que vem fazendo palestras e organizando encontros durante todo o ano no intuito de divulgar as ações de combate à mosca-dos-estábulos.

      

O folder editado pelo Centro de Comunicação Rural (Cecor) da CATI teve o intuito de divulgar as ações preventivas e os danos econômicos, de saúde e sociais causados pelo inseto nas áreas de convivência entre usineiros e pecuaristas. “Em março voltam as moagens da cana-de-açúcar e aí a tenção deve ser redobrada, mas por ora já é possível fazer todas as medidas preventivas porque janeiro normalmente é um mês que registra muitas chuvas”, diz o técnico.

O folder técnico pode ser encontrado no site da CATI  https://goo.gl/xcMFFN

Mais informações: (19) 3743-3870 ou 3743-3859

jornalismo@cati.sp.gov.br